Atriz Ondina Clais tem autobiografia publicada pela Coleção Santos Film Fest

Desde sua primeira edição, o Santos Film Fest – Festival Internacional de Cinema de Santos tem como um de seus principais objetivos o resgate histórico e a preservação da memória cinematográfica, em especial, a do cinema nacional. A Coleção Santos Film Fest surgiu para complementar e expandir esse ideal. Em 2018, publicou um livreto em formato autobiográfico do crítico santista Rubens Ewald Filho, homenageado daquela edição e, no ano seguinte, o livro Grandes Interpretações do Cinema Brasileiro, coletânea de artigos do crítico Waldemar Lopes. A partir de 2021, essas publicações são atualizadas e reeditadas, pelo selo CineZen Edições LiteráriasEm Ondina Clais: A Dama do Mar – 35 Anos de Travessia, de 120 páginas e formato pocket, a atriz paulistana Ondina Clais, uma das maiores do teatro brasileiro e que se destaca em cinema, tevê e streaming, relembra sua trajetória de 35 anos de carreira.

Aos 16 anos estreou profissionalmente como bailarina, na ópera O Guarani, de Carlos Gomes, regida pelo maestro Benito Juarez. Logo no ano seguinte passou a estampar a capa de diversas revistas nacionais e estrangeiras. Aos 20 anos começou a carreira de atriz, juntando-se ao Grupo Macunaíma, do diretor teatral Antunes Filho, no qual encenou diversas montagens como Nova Velha HistóriaParaíso Zona NorteTrono de Sangue (indicação melhor atriz coadjuvante prêmio Apetesp – 1993)Drácula e Outros Vampiros e Toda Nudez Será Castigada, de Nelson Rodrigues, quando interpretou a protagonista Geni. Em 2013, estrelou a peça A Dama do Mar na primeira montagem do renomado diretor norte-americano Bob Wilson, no Brasil, com atores brasileiros. O espetáculo estreou no Sesc Santos. Pelo trabalho recebeu elogios da crítica especializada e foi indicada ao prêmio de melhor atriz coadjuvante de 2013, pela Revista Aplauso.

A peça do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen data de 1888. É considerada, pela crítica, como a primeira obra simbolista do autor, e uma das mais poéticas. O escritor emprega um diálogo duplo: as palavras e frases têm um sentido realista e um sentido místico, misterioso. E versa sobre o livre arbítrio.

Ondina Clais é assim em sua trajetória artística: seus papeis nos trazem a força da realidade e a poesia do místico, do misterioso. Trata-se de atriz que decidiu tomar o mundo para si, ao cruzar o oceano, ir atrás de seus sonhos, superar adversidades. Sua beleza “clássica” (o que não é mentira, mas também é muito pouco para defini-la) não é apenas o que lhe dá destaque, mas especialmente sua entrega, sua busca por liberdade num meio extremamente disputado, de egos inflados, e nem sempre justo. Fosse justo, Ondina teria ainda mais espaço no cinema brasileiro. Sorte do teatro, que há décadas conta com sua forte presença no palco. Por tudo isso, e por sua ligação com Santos, cidade litorânea onde sua família atualmente reside, este livro ganhou o subtítulo A Dama do Mar.

No currículo, além dos 35 anos de palco, Ondina participou da terceira temporada da série Sessão de Terapia, no canal GNT, da primeira de O Hipnotizador, na HBO, A Vida Secreta dos Casais, dirigida por Kim Riccelli e Carlos Alberto Riccelli e escrita por Bruna Lombardi, também no HBO, e Coisa Mais Linda, no Netflix. No cinema, integrou os elencos de Meu Amigo Hindu, de Hector Babenco, com o ator norte-americano Willem Dafoe, O Filme da Minha Vida, do diretor Selton Mello, atuando ao lado do francês Vincent Cassel, João, o Maestro, cinebiografia do maestro João Carlos Martins, e Vou Nadar Até Você, do diretor e amigo fotógrafo Klaus Mitteldorf, com quem desenvolveu uma extensa parceria e autor da foto na capa do e-book. Ondina mantém uma íntima relação com Santos. Seus pais escolheram a cidade para viver. Seu avô trabalhou no IBC – Instituto Brasileiro do Café) e morava de segunda a sexta no município.

Destaque nos palcos, nas telinhas e telonas, foi homenageada no 2º Santos Film Fest, virou a madrinha do festival e passou a batizar o troféu entregue anualmente a importantes mulheres do cinema nacional. Aqui, relembra vida e carreira. 

Para receber o e-book gratuito por email, basta preencher este formulário.

Também é possível solicitar os demais livros da Coleção Santos Film Fest:

Adelia Sampaio: O Segredo da Rosa.

Rubens Ewald Filho: Vida de Cinema

História do Santos Film Fest

SOBRE O 6º SANTOS FILM FEST

6º Santos Film Fest – Festival Internacional de Cinema de Santos é realizado através do ProAC, Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, com recursos da Lei Aldir Blanc, Ministério do Turismo, Governo Federal, tem patrocínio da Blue Med Saúde e conta com apoios de Sesc Santos, UniSantos, Histórias do Cinema, Cine Roxy, LESMA – La Extraordinária Semana de Mostras Animadas, Associação dos Artistas e Prefeitura (via emendas enviadas pelos vereadores da cidade Audrey Kleys, Zequinha Teixeira e Telma de Souza). O evento é produzido pelo CineZen Cultural. A direção é dos produtores André Azenha e Paula Azenha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s