O JULGAMENTO DE PARIS (Bottle Shock, 2008) e o amor ao vinho

Alguns filmes sobre determinadas áreas conseguem despertar no espectador a vontade de saber mais sobre o tema em questão. O Julgamento de Paris é um deles. Baseado na histórica competição, de 1976, entre vinhos franceses e norte-americanos, é também sobre quebra de tabus.

Alan Rickman interpreta Steven Spurrier, verídico dono, inglês, de uma enoteca em Paris. Ele decide organizar uma degustação às cegas com os principais especialistas em vinho da capital francesa. Nela, concorrem vinícolas da França e da Califórnia.

Do lado americano, somos apresentados à excêntrica família Barrett, formada pelo pai, Jim (Bill Pullman), e seu filho, Bo (Chris Pine, de Star Trek e Mulher-Maravilha), que lutam contra a falência de sua vinícola, a Chateau Montelena. Jim não vê saída para o negócio e desconta boa parte da frustração no filho, em lutas de boxe. Bo é um hippie que não quer saber de muita coisa, a não ser sair com garotas, beber e contrariar o pai. Mas a chance de participar da competição pode colocar (ou não) a família nos eixos.

Freddy Rodríguez, Chris Pine, and Rachael Taylor in Bottle Shock (2008)

Apesar de baseado em uma história real, O Julgamento de Paris, lançado no Festival de Sundance, possui tom de Sessão da Tarde. Tem momentos dramáticos, mas em sua maior parte é comédia, romance, e até aventura.

O roteiro é irregular. O triângulo amoroso formado por Bo, Gustavo (Freddy Rodriguez) e Sam (Rachel Taylor, a Trish Walker de Jessica Jones) nada acrescenta à trama.  O conflito amoroso não convence.

Quanto à fidelidade aos fatos, os verdadeiros Jim Barrett e Steven Spurrier já declararam suas opiniões sobre o longa: “Eu fiquei profundamente ofendido pela forma incorreta como eu e meu negócio fomos apresentados”, disparou o organizador da degustação. Jim parece ter se divertido.  “É uma versão totalmente Hollywoodiana. Mas eu gostei muito do filme, é uma carta de amor ao mundo dos vinhos! E, claro, vai despertar a atenção para o Chateau Montelena!”

Bill Pullman in Bottle Shock (2008)

Mesmo com os tropeços do roteiro, Randall Miller, diretor de Baila Comigo e alguns trabalhos para a TV, realizou uma obra divertida, auxiliado pelo bom elenco, principalmente Alan Rickman, sempre interessante, e Chris Pine, cabeludo, maluquete, diferente dos papéis habituais de galã.

Porém, são as paisagens e a forma como o vinho e seu processo de produção são tratados, que nos cativam. Dá vontade de visitar as vinícolas e até imaginamos o sabor da bebida. E, claro, histórias sobre superação costumam nos atrair. A Chateau Montelena era a zebra da tal competição. É a velha história do Davi contra Golias. Até então, apenas os vinhos franceses eram venerados mundialmente.

O Julgamento de Paris
Bottle Shock
EUA, 2008.
Direção: Randal Miller.
Com Chris Pine, Alan Rickman, Bill Pullman, Freddy Rodriguez, Rachel Taylor, Dennis Farina.
110 minutos.

Bill Pullman and Chris Pine in Bottle Shock (2008)
Bill Pullman and Rachael Taylor in Bottle Shock (2008)
Alan Rickman in Bottle Shock (2008)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s