Minibiografia de WAGNER MOURA

Por RODRIGO REMA

Nascido na cidadezinha de Rodeias, interior da Bahia, em 27 de junho de 1976, filho de um militar da Aeronáutica e de uma dona de casa, Wagner Maniçoba de Moura começou a se dedicar ao teatro ainda na adolescência.

Depois de outras participações em filmes como Abril Despedaçado (2001) e As Três Marias (2002), o ano de 2003 foi bem agitado para o ator, que marcou presença em quatro lançamentos, entre eles o drama Carandiru, no qual interpretou o presidiário Zico, e a comédia Deus é Brasileiro, no papel de um divertido pescador que se torna amigo pessoal de Deus (vivido por Antônio Fagundes).

Mesmo se consolidando como ator de cinema, Wagner Moura não deixou de marcar presença na TV, onde participou de séries e novelas como Sexo Frágil (2003), JK (2006) e Paraíso Tropical (2007).

Tropa de Elite.

Em 2007, já desfrutando de prestígio e fama, Moura interpretou o impetuoso e polêmico Capitão Nascimento no bem sucedido Tropa de Elite, de José Padilha. O filme obteve uma imensa repercussão dentro e fora do Brasil e foi premiado com o Urso de Ouro de Melhor Filme no Festival de Berlim.

Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro.

Wagner Moura voltaria a dar vida a Nascimento, promovido à Coronel, em Tropa de Elite 2, que teve uma recepção ainda melhor do que a de seu antecessor.O longa foi exaltado pela crítica e bateu recordes de bilheteria, levando mais de 11 milhões de brasileiros aos cinemas.

Com Matt Damon em Elysium.

Após ser muito sondado por produtores estrangeiros, fez sua estreia em uma grande produção de Hollywood na ficção científica Elysium (2013), quando contracenou com Matt Damon e Jodie Foster. É o primeiro ator nordestino a estrelar um filme hollywoodiano.

Wagner Moura in Narcos (2015)
Narcos.

Estrelaria a série Narcos a partir de 2015 para o Netflix, interpretando o narco-traficante Pablo Escobar, papel pelo qual foi indicado a diversos prêmios, incluindo o Globo de Ouro. Ainda na plataforma de streaming viveu o verídico diplomata brasileiro Sérgio Vieira de Melo, em Sérgio (2020).

Filme "Sergio", da Netflix, desperdiça Wagner Moura e personagem ...
Sérgio.

Dirigiu Marighella (2019), versão ficcional da vida do guerrilheiro (intepretado por Seu Jorge) que lutou contra a Ditadura Militar. O longa-metragem estreou no Festival de Berlim, sendo bem recebido por público e crítica do evento. Faria seu lançamento nos cinemas no Dia da Consciência Negra, porém acabou adiado em virtude de questões burocráticas colocadas pela ANCINE – Agência Nacional de Cinema.

Aplaudido em Berlim, 'Marighella' ainda não tem lançamento ...
Com elenco de Marighella no Festival de Berlim.


RODRIGO REMA nasceu em Santos, é amante de cinema, assistidor de séries e filmes, estes há 25 anos, sendo frequentador assíduo das salas de exibição semanalmente, leitor de livros e internet, praticante de tênis de mesa. Admirador desde a saga Star Wars até os heróis e vilões presentes em Os Vingadores, passando pelos clássicos de terror, como O Cemitério Maldito, O Iluminado e It: A Coisa, adaptados das obras de Stephen King.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s